Viver bem é nossa arte ITF - International Taekwondo Federation

Carta Aberta

Carta Aberta aos Pais
Porque treinar TAEKWONDO ITF

Colocar um filho para aprender Arte Marcial pode parecer, a princípio, uma decisão simples. Mas um aspecto muito importante deve ser levado em consideração antes de matricular uma criança para fazer Arte Marcial: o motivo. Existem vários, a partir da minha experiência dando aula para crianças há mais de 30 anos, não só no Brasil, mas também na Coréia, Bélgica e Alemanha. Cito alguns deles:

  • Os pais desejam que a criança aprenda a se defender.
  • Os pais buscam uma ajuda externa no quesito "disciplina".
  • Os pais querem que seus filhos sejam mais autoconfiantes.
  • Os pais desejam que a criança faça uma atividade física saudável e recomendada atualmente por vários médicos e educadores.
  • Os pais vêem na criança uma veia explosiva e desejam canalizar essa agressividade num local preparado e adequado para aprender a controlar essa agressividade, trabalhando princípios morais e éticos e num ambiente em que haja regras e nível técnico semelhante.
  • Os pais desejam satisfazer a vontade do filho em praticar Arte Marcial.

Como podemos notar, as razões são as mais diversas, e todas elas podem ser atendidas. O Taekwondo pode ser visto como atividade corporal num primeiro momento, mas um olhar mais atento conseguirá distinguir várias frentes de desenvolvimento simultâneos: para fins terapêuticos, autodefesa, auto-controle, coordenação, auto confiança, equilíbrio, concentração, entre outros. O trabalho mental realizado é fantástico, fazendo com que as crianças tenham que memorizar movimentos que vão se tornando cada vez mais complexos, fazendo com que a atividade se torne monótona, pois há sempre mais a aprender.

No entanto, o Taekwondo tem uma outra função importantíssima dentro da nossa sociedade atual: a de resgatar a disciplina e a hierarquia. Hoje em dia vivemos num mundo onde a verticalização chegou ao relacionamento humano. Somos todos iguais perante a sociedade moderna, onde jovens querem ser adultos, e onde velhos querem ser jovens, ou seja, uma sociedade onde todos são iguais. Isso gera conflito, pois acaba a hierarquia, e em conseqüência, o respeito é minado, afinal se todos são iguais, todos podem mandar.   Onde está o respeito pelo mais velho, pela sabedoria, pela experiência? E porque a criança deve pular fases, antecipando conhecimentos e comportamentos ao invés de vivenciar naturalmente sua infância?

Ao contrário do que se encontra na maioria das academias do Ocidente, as Artes Marciais não têm como foco principal o desenvolvimento corporal, mas foram idealizadas para princípios formativos, éticos e espirituais .   A palavra "limite" deve ser entendida e vivenciada, onde a criança deve entender que limite é até onde ela pode ir, dentro das regras estabelecidas no local em que ela está naquele momento. E é uma barreira tanto para ela quanto para todos que fazem parte daquele grupo. Se ela conseguir entender isso dentro do "dojang", será uma questão de tempo que ela carregue esses conceitos para a vida normal em sociedade, onde ela aprenderá a respeitar o professor, o pai, o avô, o vizinho, e reconhecer e seguir as regras da nossa sociedade.

Costumo dizer para meus alunos que se a Arte Marcial (na sua essência) fosse introduzida em todas as escolas, em 10 anos o Brasil mudaria. Para melhor.

Tanei Campos

Av. Cel. Joaquim Montenegro (canal 6), 420 - Ponta Praia - Santos - SP
Tel: 13 3324-5313 Whatsapp: 13 99201-5602
e-mail info@teyang.com.br